Resenha do filme segredos do coração

Ensaios

FACULDADES ALVES FARIA CURSO DE PSICOLOGIA Alessandro Junio de Oliveira Cunha RESENHA DO FILME S GOIANIA NOVEMBRO DE 2010 OF3 p porque pela própria densidade e complexidade do drama Já nos vemos intimidados diante de uma tarefa tão seria e segundo porque se faz necessário elegermos uma parte, uma cena, um aspecto psicanalítico, o que significa abandonar outros pontos que são importantes constituintes do drama.

Mas, como tudo na vida é enfrentamento, vamos à diante. Talvez o ponto ou aspecto que mais me marcou no filme e que tem relação íntima com a teoria psicanalítica seja a questão da eoria da repressão e resistência, é emocionante ver como a coisa se desenrola, como um evento aparentemente normal pode desencadear sintomas tão graves que pode levar a pessoa a um estado emocional devastador.

Sabina é chamada ao cemitério para revolver a questão dos restos mortais de seus pais, pois o tempo da sepultura deles expirou e ela vai lá para tratar de assuntos puramente burocráticos, mas essa visita ao cemitério e as fotos de seus pais tornam-se o gatilho, o evento desencadeante dos pesadelos que a impede de ter uma boa oite de sono, que a impede de descansar, das lembranças fragmentadas que surgem durante o dia atormentando-a constantemente, do humor instável que começa a afastá-la das pessoas do seu conviVio, da repulsa ao contato fisico do marido Franco que desestabiliza a relação do casal, da generalização que sua mente começa fazer atribuindo aos homens em geral e conseqüentemente ao marido, características particulares de seu pai, atribuindo a todos a perversão de seu progenitor. Esse evento burocrático torna-se desencadeante de toda essa ama de sintomas que desestrutura e desestabiliza a sua vida emocional. Aquilo que foi reprimido, os abusos sexuais sofridos na infânc desestabiliza a sua vida emocional. Aquilo que foi reprimido, os abusos sexuais sofridos na infância por aquele que deveria lhe dar proteção e amor.

O que estava aprisionado, recalcado no inconsciente, resiste, tenta sair de qualquer maneira, a qualquer custo, como é impedido de sair acaba por provocar os sintomas e vem à tona, emerge das profundezas do inconsciente à superfície do consciente e só o enfretamento dessa dura realidade é que pode lhe dar radualmente condições de seguir sua Vida da melhor maneira possível. É na fala de Daniele para Sabina que podemos ter uma noção de quão dura é a jornada do enfrentamento. “Há dores que são incuráveis. A nossa é uma delas. Isso não nos impede de caminhar com os ombros retos. Agora que você é mãe, vai perceber como é importante o que falo. Uma cicatriz é um sinal indelével, não uma doença. Podemos retornar à vida, aquilo que achávamos que haviam nos roubado, mesmo se, para isso, tivermos que apagar para sempre as lembranças das crianças que fomos. ” 3

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*