Iso e suas series

Ensaios

ISO e suas Séries A ISO – International Standards Organization ou, em português, Organização Internacional para Padronização – é uma federação mundial de órgãos internacionais de normalização, que tem por objetivo preparar e emitir normas técnicas. A ISO, sediada em Genebra, é uma organização criada em 1946 por 25 países que tem como objetivo fornecer referências internacionais para regular obrigações contratuais entre fornecedores e compradores, centrados na garantia de manutenção e de uniformidade da qualidade do produto, que só sistemas de Gestão da Qualidade de alto nível garantem, na sua avaliação. Em 1987 a ISO edito ser ors critérios para implan A primeira versão cri certificação, a ISO 90 tivo de estabelecer rantia da Qualidade. armas sujeitas ? ISO 9000 que era uma espécie de guia para seleção da norma mais adequada ao tipo de organização. Com 3 anos de atraso, a ABNT emitiu a primeira versão ( tradução) da série no Brasil. A mesma foi “batizada” com o nome de série NBR 19000.

Em 1994, a série foi revisada, porém sem grandes modificações, apenas com uma pequena ampliação e alguns esclarecimentos em seus requisitos, mantendo a mesma estrutura , ou seja três normas sujeitas ? ertificação; em paralelo, agora não mais com os três anos de atraso, a ABNT revisou as normas brasileiras, adotando o nome “série NBR ISO 9000”, alinhando-se com o resto do mu Swipe to vlew next page mundo que já adotava nomenclatura similar para suas versões nacionais ( exemplo: na Alemanha: DIN ISO 9000).

Em Dezembro de 2000 a série foi totalmente revisada; além das alterações em sua estrutura, agora temos apenas uma norma sujeita à certificação, a ISO 9001, a norma trouxe o enfoque de gerenciamento de processos. A série conta com as seguintes normas: ISO 9000 – Normas sobre Gestão e Garantia da Qualidade: Diretriz para Seleção e Uso; – ISO 9001 – Sistemas da Qualidade: Modelo para garantia da Qualidade em projeto / Desenvolvimento, Fabncação, Montagem e Assistência Técnica; – ISO 9002 – Sistemas da Qualidade: Modelo para Garantia da Qualidade em Fabricação e Montagem.

A série de normas ISO 14000 foi desenvolvida pela Comissão Técnica 207 da ISO (TC 207), como resposta à demanda mundial por uma gestão ambiental mais confiável, onde o meio ambiente foi introduzido como uma variável importante na estratégia dos negócios, e foi estruturada basicamente em duas grandes áreas:

Esta série de normas foi estruturada basicamente em duas grandes éreas: Foco nas organizações empresariais: Esta área teve por objetivo orientar a implementação de uma gestão ambiental verificável, com qualidade e consistência, para reduzir os riscos nas suas atividades e facilitar o comércio internacional. Esta área foi dividida em três Subcomitês: SCI – Sistemas de Gerenciamento Ambiental, que trata das normas de gestão onde foi elaborada a ISO 14001, que é única norma certificável da série; SC2 – Auditorias Ambientais, que trata das normas que que é única norma certificável da série;

SC2 – Auditorias Ambientais, que trata das normas que dão o suporte às verificações (auditorias) do sistema e as qualificações dos profissionals que devem atuar nestas atividades; SC4 – Avaliação de Performance Ambiental, que traz orientações para desenvolverem indicadores para o acompanhamento da performance ambiental da organização. Foco nos produtos e serviços: Esta área teve por objetivo construir uma base comum e racional aos varios esquemas, privados, nacionais e regionais de avaliações de produtos.

Esta área foi dividida em dois Subcomitês: SC3 – Rotulagem Ambiental, que trata de todas as declarações mbientais colocadas nos produtos, de terceira parte (Selo Verde) ou nao; SC5 – Análise de Ciclo de Vida, que define Relações com outras normas da Série ISO 14000 – Normas do Sistema de Gestão Ambiental – A visão e o objetivo das normas de Sistema de Gestão Ambiental é fornecer uma assistência às organizações coerente com o conceito de desenvolvimento sustentável.

A Norma NBR ISO 14004 consiste em diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio e apresenta de forma global os sistemas de gestão ambiental e estimula o planejamento ambiental ao longo do ciclo de vida do produto u do processo. Um dos componentes do sistema de gestão é o planejamento das atividades da organização para se atingir as metas e objetivos ambientais.

A Avaliação do Ciclo de Vida e as normas da familia ISO 14040 podem e devem ser usadas como ferramentas de apolo ao planejamento do sistema PAGF3rl(F6 família ISO 14040 podem e devem ser usadas como ferramentas de apoio ao planejamento do sistema de gestão. É neste contexto que a ACV, uma ferramenta focalizada nos produtos ou serviços, é utilizada de maneira complementar aos sistemas de gestão ambiental.

A abordagem do desenvolvimento de produtos ou serviços onsiderando os conceitos de Ciclo de Vida (chamado de Cife Cycle Thinking) é uma ferramenta poderosa que pode subsidiar o processo de planejamento da empresa e a sua consistência. Norma NBR ISO 14001 Única norma certificável do sistema de gestão ambiental, não faz alusão direta à ACV. Isto porque a implementação de um sistema de gestão ambiental, bem como a sua certlficação, não pressupõe a necessidade de uma avaliação do ciclo de vida do produto ou serviço da empresa.

Normas de Rotulagem Ambiental (Rótulos e Declarações Ambientais) As normas de rotulagem ambiental orientam todas as eclarações ambientais ou símbolos apostos nos produtos, incluindo também orientações para os programas de Selo Verde. A norma ISO 14020 – contém princípios báslcos, aplicáveis a todos os tipos de rotulagem ambiental, recomenda que, sempre que apropriado, seja levada em consideração a ACV.

Norma ISO 14021 – Rotulagem Ambiental Tipo II: rata das autodeclarações das organizações que podem descrever apenas um aspecto ambiental do seu produto não obrigando à realização de uma ACV, reduzindo assim, os custos para atender de uma forma rápida às demandas do marketing. Norma ISO 14024 – Rótulo Ambiental Tipo l: Princípios e procedimentos – recomenda q PAGF do marketing. Procedimentos – recomenda que estes programas sejam desenvolvidos levando-se em consideração a ACV para a definição dos “critérios” de avaliação do produto e seus valores limites.

Isso quer dizer que deve haver múltiplos critérios identificados e padronizados, pelo menos os mais relevantes, nas fases do ciclo de vida, facilitando a avaliação e reduzindo os custos de certificação. Relatório Técnico TR/ISO 14025 – Rotulagem Ambiental Tipo III: Principios e procedimentos orientam os programas de rotulagem ue pretendem padronizar o Ciclo de Vida e certificar o padrão do Ciclo de Vida, ou seja, garantindo que os valores dos impactos informados são corretos, sem definir valores limites.

Série ISO 14040 – Gestao Ambiental ISO 14040: Princípios e Estrutura: Esta norma especifica a estrutura geral, princípios e requisitos para conduzir e relatar estudos de avaliação do ciclo de vida, não incluindo as técnicas de avaliação do ciclo de vida em detalhes. ISO 14041: Definições de escopo e análise do inventário Esta norma orienta como o escopo deve ser suficientemente bem definido para assegurar que a extensão, a profundidade e o rau de detalhe do estudo sejam compatíveis e suficientes para atender ao objetivo estabelecido.

Da mesma forma, esta norma orienta como realizar a análise de inventário, que envolve a coleta de dados e procedimentos de cálculo para quantificar as entradas e saídas pertinentes de um sistema de produto. ISO 14042: Avaliação do impacto do ciclo de vi entradas e saídas pertinentes de um sistema de produto. ISO 14042: Avaliação do impacto do ciclo de vida Esta norma especifica os elementos essenciais para a estruturação dos dados, sua caracterização, a avaliação quantitativa e qualitativa dos impactos potenciais identificados na tapa da análise do inventário.

ISO 14043: Interpretação do ciclo de vida Esta norma define um procedimento sistemático para identificar, qualificar, conferir e avaliar as informações dos resultados do inventário do ciclo de vida ou avaliação do inventário do ciclo de vida, facilitando a interpretação do ciclo de vida para criar uma base onde as conclusões e recomendações serão materializadas no Relatório Final. ISO TR 14047: Exemplos para a apucaçao da ISO 14042 Este relatório técnico fornece exemplos de algumas das formas de aplicação da Avaliação do Impacto do Ciclo de Vida conforme escrito conforme a norma ISO 14042.

ISO TS14048: Formato da apresentação de dados Esta especificação técnica fornece padrões e exigências para a forma de apresentação dos dados que serão utilizados no Inventário e na Avaliação do Inventário do Ciclo de Vida de uma forma transparente e inequívoca. ISO TR 14049: Exemplos de aplicação da ISO 14041 para definição de objetivos e escopo e análise de inventário. Este relatório técnico apresenta exemplos para facilitar a definição de objetivos e escopos e análise de inventários, orientando uma padronização para diversos tipos de ACV.

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*