Contabilidade das sociedades

Ensaios

Valor nominal É o valor lançado no Estatuto Social da empresa. Não há relações entre este valor e o valor de mercado, quando é negociada a acção. Valor patrimonial É o quociente entre o património liquido e o número de acções. Pode semir de referência para os direitos dos accionistas. Valor intrínseco É o valor avaliado na do comportamento d características partic macroeconómicas. Valor de liquidação ac or 14 to view , isto é, a projecção o base o estudo das e de características É o valor das acções adoptado em caso de encerramento das actividades da empresa.

Valor de subscrição ? o preço fixado pela Sociedade Anónima para venda das acções, com o objectivo de aumentar o capital. Não pode ser inferior ao Valor Nominal. Valor venal É o valor da cotação da acção nos mercados organizados, como a Bolsa de Valores. Vossa Paternidade. IV. s lv. u I Vacina Vossa Santidade. Ivotação unânime. vosso(s), vossa(a). Ivossa ordem ( comércio). [Recurso de pesquisa de um programa antivírus em arquivos, discos rígidos ou disquetes, com o I VALEC ‘VALOR lobJetivo de localizar e eliminar vírus Engenharia, Construções e Ferrovias S.

A. I Atributo que confere a qualquer produto qualidade de bem econômico Valor adicionado I Consiste em calcular o que cada ramo de atividade adicionou ao valor do produto final, em cada I etapa do processo produtivo. É dado pela diferença entre as receitas de vendas e as compras de linsumos intermediários (como matérias- primas e componentes). I Valor Adicíonado I Riqueza gerada pela empresa através de seu processo de produção ou serviço. Calculado como o Iresultado das vendas, excluindo-se todos os valores pagos a terceiros (fornecedores de produtos I elou serviços).

I Valor Agregado adicionado ao seu preço. Representa o conjunto de valores I Valor ao par IO valor de face uma ação ou titulo. No caso de ações, o valor ao par é, meramente, um registro contábil e não serve a outro propósito. preço no mercado. I Valor Contábil Entende-se por valor contábil do bem aquele que estiver registrado na escrituração do Icontribuinte, diminuído, se for o caso, da depreciação, amortização ou exaustão acumulada Valor da Causa l(RIR/1999, art. 418, S 10).

I Valor que é atribuído à demanda em razão do pedido ou conforme dispõe a lei. Nas ações de despejo, revisionais, renovatória e de onsignação de aluguéis, o valor da causa será sempre o I I equivalente a 12 (doze) mensalidades da locação. IVALOR DA COTA DE UM FUNDO DE IÉo quociente entre o patrimônio liquido do fundo e o número de cotas emitidas. INVESTIMENTO Valor de exercício Preço de exercício por unidade da ação-objeto da opção, multiplicado pela quantidade de unidades I Inegociadas.

Veja conceito de opção. ‘VALOR DE EXERCÍCIO DA OPÇÃO IÉo preço de exercício de uma opção multiplicado pelo número de ações que compõem o lote padrão I Ida opção. Valor de face IValor de uma obrigação, nota ou outro ítulo como expresso no certificado ou instrumento. Apesarl Ido preço das obrigações flutuar a partir do momento de emissão até o seu resgate, eles são Iresgatados no prazo de vencimento pelo seu valor de face, a menos que tenha ocorrido default.

O Ivalor de face é o montante sobre o qual o pagamento de juros é calculado_ Por exemplo, uma lobriga de face de $1. 000 e luros comercializado, de acordo com a lei de oferta e procura. Por isso, não tem a ver com o valor Ireal de um produto que incorpora, inclusive, os custos de fabricação I Valor de referência Valor unitário da ação ou quota, btido dividindo-se o valor do capital social integralizado Ipela quantidade de ações ou quotas representativas do capital social integralizado.

Valor de troca de um bem ou Forma-se pelo encontro entre a oferta e a demanda no mercado; ou seja, é o próprio preço de I serviço I Valor de uso I mercado. I É a utilidade ou satisfação que o bem representa para o consumidor. I VALOR EM ALFÂNDEGA IO valor em alfândega das mercadorias importadas será o valor de transação, isto é, o preço Irealmente pago ou a pagar pelas mercadorias quando estas forem vendidas para sua exportação ao

Ipaís de importação, ajustado de conformidade com o disposto no artlgo 8, sempre que concorram I seguintes circunstâncias: a) não existam restrições à cessão ou utilização das mercadorias pelo I I comprador, com exceção das que: i) imponham ou exijam a lei ou as autoridades do país de limportação; ii) limitem o território geográfico onde possam ser revendidas as mercadorias; ou, liii) não afetem substancialmente o valor das mercadorias; b) a venda ou o preço não dependam de I Inenhuma condição ou contraprestação cujo valor não possa ser determinado com relação às

Imercadorias a valorar; c) não reverta, direta ou indiretamente, ao vendedor arte alguma do Iprodu ou de qualquer cessão ou que, caso exista, o I Ivalor de transação seja aceitável para os efeitos aduaneiros, em virtude do disposto no Iparágrafo 2. I Valor Empregatício Valor facial I Relação de trabalho. Valor marcado na moeda ou na cédula; é por este valor que a peça tem circulação forçada, salvo I determinação oficial em sentido diverso. IVA OR INTRÍNSECO DA OPÇÃO a diferença quando positiva, entre o preço à vista da ação objeto e o preço de exercício da I I opção.

IVAI_OR INTRÍNSECO DE IJMA AÇÃO IO método de avaliação que considera o chamado valor intr[nseco da ação, ou de lucros I capitalizados, se baseia no principio de que o valor presente de uma ação é o resultado dos Irendimentos futuros que se obterão com um investimento. O princípio se baseia no fato de que a Icapacidade da empresa em gerar lucros futuros é que irá aumentar o seu patrimônio e, I consequentemente, o do acionista. IVALOR NOMINAL IValor convencionado para cada ação no momento de sua emissão.

I VALOR NORMAL IO preço comparável, efetivamente pago ou a ser pago nas operações comerciais normais pelo Iproduto similar destinado ao consumo no pais de exportação ou de origem IValor patrimonial da ação ou Obtido mediante a divisão do valor do Patrimônio Líquido ela uantidade de ações ou quotas um Fundo de Investimento. II. JM FUNDO DE INVESTIMENTO ‘VALOR PATRIMONIAL DE UMA AÇAO I E o quociente entre o patrimônio líquido da empresa e o número de ações da empresa. Este I quociente mostra a relação existente entre os bens da empresa e o valor da ação.

O fato de esta Irelaçao acusar um valor superior ao valor nominal é bastante favorável para um investimento. I Valor Presente Liquido O valor presente de futuros rendimentos em dinheiro, descontados a uma taxa de juros adequada, investimento. Imenos o valor presente do custo do Valor Unitária da Ação I Quociente entre o valor do capital social realizado de uma empresa e o número de ações emitidas. I IVALOR UNITÁRIO DA AÇÃO Quociente entre o valor do capital social realizado de uma empresa e o número de ações emitidas.

I I VALORAÇÃO publicitána. [Valor monetário dado a uma inserção VALORAÇÃO ADUANEIRA Uma das etapas do procedimento de aforamento, e que consiste em avaliar as mercadorias I submetidas a esse procedimento, de acordo com a Definição do Valor de Bruxelas. Valores Disponíveis Conjunto da liquidez ou dos títulos de crédito da empresa que podem ser rapidamente convertidos I lem moeda. I VALORES EM GARANTIA Valores que estão sob os cuidados de uma instituição financeira, como garantia de negócios I efetuados em confiança.

I vaR 1) Medida estatística que pretende calcular o valor da perda esperada de um ativo ou portfólio lem função da variação diária de preço dos ativos. Esse valor é calculado para um determinado lintervalo de confiança e um determinado orizonte de tempo. 2) uma estimativa da fronteira Isuperior de perdas que uma instituição pode esperar ter durante um período dado (ex. , um dia) Varejo Ipara um nivel de confiança determinado (ex. , IAtividade comercial situada no elo final da cadeia que liga o produtor e o consumidor.

I VARIAÇAO Dlferença entre os preços de uma determinada ação, no instante considerado, e um determinado I tempo tomado como origem. I Variação da demanda Deslocamento da curva da demanda, em virtude de alterações no preço de outros bens (substitutos I lou complementares), na renda ou nas preferências do consumldor. I Variação na oferta Deslocamento da curva de oferta, em virtude de alterações no preço de outros bens (substitutos Ina produção), no custo dos fatores de produção ou nos objetivos empresariais.

I Variável I Grandeza suscet[vel de variar de maneira própria ou em função de outras variáveis. Em I estatística descritiva, caracteristica quantitativa, discreta ou contínua. IVARIG I VASP IVIação Aéna Rio-Grandense. Viação Aérea São Paulo S. A. Vazamentos do fluxo circular Referem-se a toda renda que não permanece no fluxo C vaz i-se de poupança, Financeira VCP_vp I VCP-ATS I Valor em Caráter Pessoal do VP (BB). IValor em Caráter pessoal ao Adicional por Tempo de Serviço Incorporado (83). I VEICULAÇÃO VEÍCULO Vendas Diárias O mesmo que inserção.

Meio, o emissor da mensagem publicitária. Pode ser uma emissora de rádio / tv ou um titulo de I revista / jornal. É o número de giros que a Velocidade-renda da moeda moeda realiza, em certo período, criando renda nacional. E dada pela Irelaçao entre a renda nominal (PIB nominal) e o saldo dos meios de pagamento. I VENCIMENTO contrato. I VENDA A FUTURO Data-limite para a liquidação de um Operação onde em princípio não nteressa ao investidor entregar os títulos, já que, no momento I Imais adequado, ele encerrará a posição através de uma operação inversa (compra a futuro).

Existe I la possibilidade de substituir essa operação por outra (encerra-se a posição de venda através de luma compra a futuro e simultaneamente se vende para outro vencimento a futuro ou mesmo à vista). Venda de câmbio I Negócio realizado entre uma pessoa fisica ou jurídica (cliente) com uma instituição autorizada I le/ou credenciada a operar em câmbio pelo Banco Central do Brasil (instituição). Contra o Irecebimento de um determinado valor em oeda nacional a instituição entre a ao cliente, ou a Iquem esienado, o valor em startups com grande potencial de crescimento, em troca de uma participação acionária.

Podem ter, lou não, envolvimento direto na administração da empresa financiada. VENTURE FORUM I Evento onde os empreendedores apresentam seus planos de negócios e propostas de financiamento investimentos. I VERBA Ipara a comunidade empresarial e de Volume de investimento publicitário ou recursos dispon[veis para uma campanha publicitária. Verbi gratia (abreviadamente [termo estrangeiro que significa: por exemplo. I v. g. ) I Verbum ad verbum termo estrangeiro que significa: palavra por palavra, textualmente, literalmente.

IVERIFICAÇÃO DA DECLARAÇÃO DE realizada pela Alfândega a fim de constatar que a declaração de mercadorias foi I MERCADORIAS I corretamente realizada e que os documentos justificativos cumprem as condições prescritas. I VERSÃO Nome da peça publicitária, tema central do comercial. Tem como objetivo auxiliar a identificação fiscalização. IVERSAO UNICA Ido comercial veiculado no trabalho de Expressão com a qual é designada a versão em espanhol do Sistema Harmonizado, aprovada pelos

I Diretores Nacionais de Alfândegas no âmbito do Convênio Multilateral sobre Cooperação e IAssistência Mútua entre as Direções Nacionais de Alfândegas da América Latina, Espanha e I Portugal (Acordo de ima, 1994). I VGBL IVid Benefícios Livres. PAGF hospedagem e ainda dólares Ilevados para viagens. Do lado da receita, são contabilizadas as mesmas despesas que os turistas Vide lestrangelros realizam no Brasil. termo estrangeiro que significa: vê, veja, veja-se, veja em. Usa-se quando se quer que o leitor Video Digital consulte outra palavra, expressão ou trecho. ? a chave do conteúdo streaming, uma aneira alternativa de armazenar e distribuir trabalhos em I analógica. IVIÉs lvídeo, geralmente convertidos de uma fonte I Termo que designa tendência. No Brasil passou a ser utilizado nas reuniões do Copom (Conselho de I Política Monetária). Uma vez por mês o comitê divulga a taxa básica de juros (Selic) e seu Irespectivo viés, que pode ser de alta ou baixa. Neste caso, o viés indica o que pode acontecer I Icom a taxa no mês seguinte I Viés ou Erro Sistemátlco I Distorção sistemática entre a medida de uma variável estatística e o valor real da grandeza a lestimar.

A introdução de um viés no cálculo estatístico pode estar ligada quer a imperfeição ou I I deformação da amostra que serve de base para a estimativa, quer ao próprio método de avaliação. I Vigilância, oversight Uma atividade de política pública, exercida pelo Banco Central, cujo propósito básico é o de Ipromover a segurança e eficiência dos sistemas de pagamento e de liquidação de valores e, em I Vinculação Iparticular, para reduzir o risco sistêmico. I Expressão utilizada para definir a relação entre eventos de comércio exterior. Ato pelo qual o I expo ortador informam a

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*