Apostila maquinas pesadas

Ensaios

APOSTILA DO EDUCANDO orq to view nut*ge Desenvolvimento do Conteúdo 1 Norma regulamentadora NR 1 1 2. Norma regulamentadora NR 12 3. Norma regulamentadora NR 06 4. Objetivo pontes-rolantes, talhas, empilhadeiras, guinchos, esteiras- rolantes, transportadores de diferentes tipos, serão calculados e construídos de maneira que ofereçam as necessárias garantias de resistência e segurança e conservados em perfeitas condlçbes de trabalho. (11 1. 003-9 / 12) 1 1 . 1-3. 1 .

Especial atenção será dada aos cabos de aço, cordas, correntes, roldanas e ganchos que deverão ser inspecionados, ermanentemente, substituindo-se as suas partes defeituosas. (111. 004-7 12) 1. 1. 3. 2. Em todo o equipamento será indicado, em lugar visivel, a carga máxima de trabalho permitida. (11 1. 005-5 / II) 1 . 1. 3. 3. Para os equipamentos destinados à movimentação do pessoal serão exigidas condições especials de segurança. (1 11. 006-3 II) 1 1 . 1-4. Os carros manuais para transporte devem possuir protetores das maos. 1 11. 007-1 II) 1 1 . 1. 5. Nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá receber treinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa função. 1 1 1. 008-0 / II) 1 1 . 1. 6. Os operadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se durante o horário de trabalho portarem um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível. (111. 009-8 / II) 1. 1. 6. 1.

O cartão terá a validade de 1 (um) ano, salvo imprevisto, e, para a revalidação, o empregado deverá passar por exame de saúde completo, por conta do empregador. (11 1. 010-1 / II) 1 . 1. 7. Os equipamentos de transporte motorizados deverão possuir sinal de advertência sonora (buzina). (1 11. 011-0 / II) 1 . 1. . Todos os transportadores industriais serão permanentemente inspecionados e as peças defeituosas, ou que apresentem deficiências, deverão ser imediatamente substituíd PAGF 51 as peças defeituosas, ou que apresentem deficiências, deverão ser imediatamente substituídas. 1 11. 012-8 / II) 1 . 1. 9. Nos locais fechados ou pouco ventilados, a emissão de gases tóxicos, por máquinas transportadoras, deverá ser controlada para evitar concentrações, no ambiente de trabalho, acima dos limites permissíveis. (1 1 1-013-6 / 12) 1. 1. 10. Em locais fechados e sem ventilação, é proibida a tilização de máquinas transportadoras, movidas a motores de combustão interna, salvo se providas de dispositivos neutralizadores adequados. (1 1 1. 014-4 / 13) 1 1. 2.

Normas de segurança do trabalho em atividades de transporte de sacas. 1 12. 1. Denomna-se, para fins de aplicação da presente regulamentação a expressão “Transporte manual de sacos” toda atividade realizada de maneira contínua ou descontínua, essencial ao transporte manual de sacos, na qual o peso da carga é suportado, integralmente, por um só trabalhador, compreendendo também o levantamento e sua deposição. 1. 2. 2. Fica estabelecida a distância máxima de 60,00m (sessenta metros) para o transporte manual de um saco. (1 11. 15-2 / II) 1 1. 2. 2. 1 . Além do limite previsto nesta norma, o transporte descarga deverá ser realizado mediante impulsão de vagonetes, carros, carretas, carros de mão apropriados, ou qualquer tipo de tração mecanizada. (1 11. 016-0 / II) 1 1. 2. 3. É vedado o transporte manual de sacos, através de pranchas, sobre vãos superiores a 1 ,00m (um metro) ou mais de extensão. (1 1 1 ,017-9 / 12) 1 1. 2. 3. 1 . As pranchas de que trata o item 11. 2. 3 deverão ter a argura minima de 0,50m (cinquenta cent[metros). (1 11. 018-7 / II) 1 1. 2. 4.

Na operação manual de carga e descarga de sacos, em camlnhão ou vagão, o trabalhador terá o auxílio de ajudante. (111. 019-5 descarga de sacos, em caminhão ou vagão, o trabalhador terá o auxilio de ajudante. (1 11. 019-5 / II) 1 1. 2. 5. As pilhas de sacos, nos armazéns, terão a altura máxima correspondente a 30 (trinta) fiadas de sacos quando for usado processo mecanizado de empilhamento. (1 11. 020-9 / II) 1 12. 6. A altura máxima das pilhas de sacos será correspondente a 20 (vinte) fiadas quando for usado processo manual de mpilhamento. (111. 021-7 / II) 1 1. 2. 7.

No processo mecanizado de empilhamento, aconselha-se o uso de esteiras-rolantes, dadas ou empilhadeiras. 1 1. 2. 8. Quando não for possível o emprego de processo mecanizado, admite-se o processo manual, mediante a utilização de escada removível de madeira, com as seguintes características: a) lance único de degraus com acesso a um patamar final; (111. 022-5 / II) b) a largura mínima de 1,00m (um metro), apresentando o patamar as dimensões mínimas de 1,00m x 1,00m (um metro x um metro) e a altura máxima, em relação ao solo, de 2,25m (dois etros e vinte e cinco cent(metros); (1 11. 23-3 / II) c) deverá ser guardada proporção conveniente entre o piso e o espelho dos degraus, não podendo o espelho ter altura superior a 0,1 5m (quinze centímetros), nem o piso largura inferior a 0,25m (vinte e cinco centímetros); (1 11. 024-1 / II) d) deverá ser reforçada, lateral e verticalmente, por meio de estrutura metálica ou de madeira que assegure sua estabilidade; (111. 025-0 II) e) deverá possuir, lateralmente, um corrimão ou guarda-corpo na altura de 1,00m (um metro) em toda a extensão; (1 11. 26-8 / II) ) perfeitas condições de estabilidade e segurança, sendo substituida imediatamente a que apresente qualquer defeito. (111. 027-6 / II) 1 12. 9. O piso do armazém deverá ser constituído de materia 51 apresente qualquer defeito. (1 11. 027-6 / II) 1 1. 2. 9. O piso do armazém deverá ser constituído de material não escorregadio, sem aspereza, utilizando-se, de preferência, o mastique asfáltlco, e mantido em perfeito estado de conservação. (111. 028-4 / II) 1 12. 10. Deve ser evitado o transporte manual de sacos em pisos escorregadios ou molhados. (11 1. 029-2 / II) 1 1. 2. 11.

A empresa deverá providenciar cobertura apropriada dos locais de carga e descarga da sacaria. (1 1 1. 030-6 / II) 1 1. 3. Armazenamento de materiais. 1 1. 3. 1. O peso do material armazenado não poderá exceder a capacidade de carga calculada para o piso. (1 11. 031-4 / II) 1 13. 2. O material armazenado deverá ser disposto de forma a evitar a obstrução de portas, equipamentos contra incêndio, saídas de emergências, etc. (1 11. 032-2 f II) 1 1. 3. 3. Material empilhado deverá ficar afastado das estruturas laterais do prédio a uma distância de pelo menos 0,50m (cinquenta centímetros). 11. 033-0 II) 1 1. 3. 4. A disposição da carga não deverá dificultar o trânsito, a iluminação, e o acesso às saídas de emergência. (1 11. 034-9 / II) 1 1. 3. 5. O armazenamento deverá obedecer aos requisitos de segurança especiais a cada tipo de material. MINISTÉRIO DO TRABALHO EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇAO DO TRABALHO PORTARIA N. D 197, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2010 Altera a Norma Regulamentadora n. 0 12 – Máquinas e Equipamentos, aprovada pela Portaria no 3. 214, de 8 de junho de 1978. A SECRETÁRIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO e o DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SEGU DE NO TRABALHO o 5. 63, de 3 de maio de 2004 e em face do disposto nos arts. 1 55 e 200 da Consolidação das Leis do Trabalho – CL T, aprovada pelo Decreto no 5. 452, de 10 de maio de 1943 e art. 20 da Portaria n. 0 3. 214, de 8 de junho de 1978, resolvem: Art. | 0 A Norma Regulamentadora n. 0 12 — NR 12, aprovada pela Portaria no 3. 214, de 8 de junho de 1978, sob o título de “Máquinas e Equipamentos” passa a vigorar com a redação constante desta Portaria. NR-12 – SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Princípios Gerais 12. 1.

Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem eferências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho nas fases de projeto e de utilização de máquinas e equipamentos de todos os tipos, e ainda à sua fabricação, importação, comercialização, exposição e cessão a qualquer título, em todas as atividades económicas, sem prejuízo da observância do disposto nas demais Normas Regulamentadoras – NR aprovadas pela Portaria na 3. 14, de 8 de junho de 1978, nas normas técnicas oficiais e, na ausência ou missão destas, nas normas internacionais aplicáveis. 12. 3. O empregador deve adotar medidas de proteção para o trabalho em máquinas e equipamentos, capazes de garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores, e medidas apropriadas sempre que houver pessoas com deficiência envolvidas direta ou indiretamente no trabalho 12. 4.

São consideradas medidas de proteção, a ser adotadas nessa ordem de prioridade: a) medidas de proteção c b) medidas administrativas ou de organização do trabalho; e c) medidas de proteção Individual. 12. 6. Nos locais de instalação de máquinas e equipamentos, as ?reas de circulação devem ser devidamente demarcadas e em conformidade com as normas técnicas oficiais. 12. 6. 2. As áreas de circulação devem ser mantidas permanentemente desobstruídas. 2. 7. Os materiais em utilização no processo produtivo devem ser alocados em áreas especificas de armazenamento, devidamente demarcadas com faixas na cor indicada pelas normas técnicas oficiais ou sinalizadas quando se tratar de áreas externas. 12. 8. Os espaços ao redor das máquinas e equipamentos devem ser adequados ao seu tipo e ao tipo de operação, de forma a prevenir a ocorrência de acidentes e doenças relacionados ao rabalho. 12. 8. 1.

A distância mínima entre máquinas, em conformidade com suas caracter[sticas e aplicações, deve garantir a segurança dos trabalhadores durante sua operação, manutenção, ajuste, limpeza e inspeção, e permitir a movimentação dos segmentos corporais, em face da natureza da tarefa. 12. 21 . São probidas nas máquinas e equipamentos: a) a utilização de chave geral como dispositivo de partida e parada; b) a utilização de chaves tipo faca nos circuitos elétricos; e c) a existência de partes energizadas expostas de circuitos que utilizam energia elétrica. 2. 22. As baterias devem atender aos seguintes requisitos minimos de segurança: a) localização de modo que sua manutenção e troca possam ser realizadas facilmente a partir do solo ou de uma plataforma de apoio; b) constituição e fixação de forma a não haver deslocamento acidental; e c) proteção do terminal positivo a fim de prevenir contato acidental e curto-circuito. PAGF 7 51 proteção do terminal positivo, a fim de prevenir contato acidental e curto-circuito. 12. 23.

Os serviços e substituições de baterias devem ser realizados conforme indicação constante do manual de operação. 12. 4. Os dispositivos de partida, acionamento e parada das máquinas devem ser projetados, selecionados e instalados de modo que: a) não se localizem em suas zonas perigosas; b) possam ser acionados ou desligados em caso de emergência por outra pessoa que não seja o operador; c) impeçam acionamento ou desligamento involuntário pelo operador ou por qualquer outra forma acidental; d) não acarretem riscos adicionais; e 12. 2. As máquinas e equipamentos, cujo acionamento por pessoas não autorizadas possam oferecer risco à saúde ou integridade física de qualquer pessoa, devem possuir sistema que ossibilite o bloqueio de seus dispositivos de acionamento. 12. 47. 2. O eixo cardã deve possuir proteção adequada, em perfeito estado de conservação em toda a sua extensão, fixada na tomada de força da máquina desde a cruzeta até o acoplamento do implemento ou equipamento. 12. 54.

As proteções, dispositivos e sistemas de segurança devem integrar as máquinas e equipamentos, e não podem ser considerados itens opcionais para qualquer fim. 12. 79. As mangueiras utilizadas nos sistemas pressurizados devem possuir indicação da pressão máxima de trabalho admissível especificada pelo fabricante. 2. 80. Os sistemas pressurizados das máquinas devem possuir melos ou dispositivos destinados a garantir que: a) a pressão máxima de trabalho admissível nos circuitos não possa ser excedida; e 12. 6. As Máquinas e equipamentos devem ser projetados, construídos e operados levando em consideração a necessidade de adaptação das con PAGF 8 1 projetados, construídos e operados levando em consideração a necessidade de adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza dos trabalhos a executar, oferecendo condições de conforto e egurança no trabalho, observado o disposto na NR 17. 2. 97. Os assentos utilizados na operação de máquinas devem possuir estofamento e ser ajustáveis à natureza do trabalho executado, além do previsto no subitem 17. 3. 3 da NR 17. 12. 100. Os postos de trabalho das máquinas e equipamentos devem permitir o apoio integral das plantas dos pés no piso. 12. 100. 1. Deve ser fornecido apoio para os pés quando os pés do operador não alcançarem o piso, mesmo após a regulagem do assento. ) evitar a flexão e a torção do tronco de forma a respeitar os ?ngulos e trajetórias naturais dos movimentos corpóreos, durante a execução das tarefas. 12. 105. O bocal de abastecimento do tanque de combustível e de outros materiais deve ser localizado, no máximo, a 1,50 m (um metro e cinquenta centímetros) acima do piso ou de uma plataforma de apoio para execução da tarefa. Riscos adicionais 12. 106.

Para fins de aplicação desta Norma, devem ser considerados os seguintes riscos adicionais: a) substâncias perigosas quaisquer, sejam agentes biológicos ou agentes químicos em estado sólido, líquido ou gasoso, que apresentem riscos à saúde ou integridade fisica dos rabalhadores por meio de inalação, ingestão ou contato com a pele, olhos ou mucosas; b) radiações ionizantes geradas pelas máquinas e equipamentos ou provenientes de substâncias radiativas por eles utilizadas, processadas ou produzida c) radiações não ionizantes com potencial de causar danos ? saúde ou integridade fisica dos trabalhadores; d) vibrações; e) ruído; f) calor; g) combustíveis, inflamáveis, explosivos e substâncias que reagem perigosamente; e h) superfícies aquecidas acessíveis que apresentem risco de queimaduras causadas pelo contato com a pele. 12. 09. Devem ser adotadas medidas de proteção contra queimaduras causadas pelo contato da pele com superfícies aquecidas de máquinas e equipamentos, tais como a redução da temperatura superficial, isolação com materiais apropriados e barreiras, sempre que a temperatura da superfície for maior do que o limiar de queimaduras do material do qual é constituída, para um determinado período de contato. Manutenção, inspeção, preparação, ajustes e reparos. 12. 111.

As máquinas e equipamentos devem ser submetidos ? manutenção preventiva e corretiva, na forma e periodicidade eterminada pelo fabricante, conforme as normas técnicas oficiais nacionais vigentes e, na falta destas, as normas técnicas internacionais. 12. 111. 1. As manutenções preventivas com potencial de causar acidentes do trabalho devem ser objeto de planejamento e gerenciamento efetuado por profissional legalmente habilitado. 12. 112. As manutenções preventivas e corretivas devem ser registradas em livro próprio, ficha ou sistema informatizado, com os seguintes dados: a) cronograma de manutenção; b) intervenções realizadas; c) data da realização de cada interven 30; d) semico realizado;

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*