Sustentabilidade na construção

Ensaios

bruta de capital fixo volta de 400 bilhões mais de 2. 2 milhões e’ r. F. infinidade de empre Sustentabilidade na construção Premium gy babit Map 08, 2012 Spages 1. INTRODUÇÃO É Inegável que a construção civil é uma das principais molas propulsoras da economia mundial, isso é inegável. Só para ter uma idéia de sua importância, no Brasil, ela é responsável por 53% da formação bruta de capital fixo e 15% do PIB. Além disso, movimenta por volta de 400 bilhões de reais por ano, sendo responsável por mais de 2. milhões de empregos diretos. Sem contar, ainda, a infinidade de empregos indiretos. Que a construção civil é uma das principais molas propulsoras da economia mundial, isso é inegável. Só para ter uma idéia de sua importância, no Brasil, ela é responsável por 63% da formação to next*ge ors , movimenta por responsável por m contar, ainda, a Além de sua indiscut vel import ncia para o desenvolvimento do país, a construção civil é apontada como uma das indústrias que mais impactam o meio ambiente.

Para se ter uma idéia, o setor consome 2/3 da madeira natural e cerca de 50% dos recursos naturais do planeta, sendo grande parte de recursos não renováveis. Além da extração, o processo produtivo também é bastante nocivo. A fabricação de cimento, por exemplo, é responsável por 8% do total de emissões de GHG. Fora a quantidade de material desperdiçado e os resíduos gerados ao final de uma obra.

E com crescimento populacio Swlpe to vlew next page populacional e o acelerado processo de urbanização dos municípios contribuiu para a geração de grandes volumes de Resíduos da Construção Civil(RCC) e, consequentemente, para o aumento da geração dos Resíduos Sólidos Urbanos. A construção civil é certamente o maior gerador de resíduos de toda a ociedade. De acordo com levantamentos feitos em diversas cidades brasileiras, os resíduos de construção representam cerca de 60% de todos os resíduos sólidos urbanos, ou seja, este valor é muito superior ao do resíduo domiciliar, que nos últimos anos tem sido o nosso foco.

Os Resíduos da Construção Civil são popularmente conhecidos por entulhos e tecnicamente são definidos como todo rejeito de material utilizado na execução de etapas de obras em atividades de construção civil, podendo ser orundas de obras de infra-estrutura, demolições, reformas, restaurações, reparos, construções novas, etc, ais como um conjunto de fragmentos ou restos de pedregulhos, areias, materiais cerâmicos, argamassa, aço, madeira, etc.

Conforme podemos observar, a gestão dos RCC é de suma importância, visto tratarse de expressivo volume, além de representar uma fonte de degradação ambiental. E isso no que se refere tanto à sua obtenção na natureza (pois a exploração dos agregados causa profundo im acto ambiental) como à sua destinação final, que inertes, é fato notório os inconvenientes que causam, sejam eles depositados corretamente ou irregularmente.

O cuidado para reduzir a geração de resíduos, e onsequentemente as perdas, deve começar na concepção do empreendimento, seguido pela execução e utilização do mesmo. Outra alternativa para isso é a reutilização dos materiais que sobram como matérias primas para a fabricação de outros produtos. Processo que pode inclusive reduzlr os custos de uma obra e ainda ajudar na elaboração de uma construção sustentável.

Pode-se definir Construção Sustentável como prevenção e redução dos resíduos pelo desenvolvimento de tecnologias limpas, no uso de materiais recicláveis ou reutilizáveis, no uso de resíduos como materiais secundários e na oleta e deposição inerte. Falando especificamente do Brasil, uma das maiores dificuldades para implementação da sustentabilidade no setor da construção civil, diz respeito à falta de iniciativas públicas de infra-estrutura, o que acaba elevando, e muito, o custo de uma casa ou um prédio sustentável.

Como exemplo mais óbvio, há o fato de termos perfeitas condlçbes climáticas para a utillzação de energias limpas, como a solar e eólica, mas concentrarmos o investimento em outros tipos, como a termoeletrica e até mesmo a nuclear. No mundo já pipocam certifica ões voltadas para construções ustentáveis, como a ame eadership in Energy and famosa, e a francesa HQE (Haute Qualité Environment). Há, ainda, a certificação AQUA (Alta Qualidade Ambiental), baseada na HQE, e que vem a ser o primeiro referencial técnico para construções sustentáveis adaptado à nossa realidade.

De modo geral, essas certificações se fundamentam no princípio de eficiência energética, uso racional de água, coleta seletiva, qualidade ambiental interna da edificação etc. Além de uma certificação brasileira, foi criado em agosto de 2007 0 CBCS, Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, ue tem como objetivo induzir o setor da construção a utilizar práticas mais sustentáveis, melhorando a qualidade de vida dos usuários, dos trabalhadores e do entorno das edlficaçbes.

O CBDS é composto por diversos comitês que tratam de assuntos específicos relacionados à sustentabilidade no setor, como materiais e finanças (além dos óbvios água e energia). Mesmo com o custo ainda elevado e o tempo de retorno relativamente longo, o setor de construção sustentável já tem grandes iniciativas. No Rio de Janeiro, na Cidade Nova, o prédio da Universidade Corporativa da Petrobras é o primeiro prédio rasileiro de grande porte com certlficação LEED .

E o bom da onda de construção verde é que ela não atinge apenas grandes empreendimentos ou é demandada apenas por grandes empresas. Mas ainda é urgente a identificação mais características técnicas que propiciem a execução de um edifício ecologicamente correto tais como: condicionamento de ar, posicionamento de fachada em relação ao nascente/p PAGF ecologicamente correto tais como: condicionamento de ar, posicionamento de fachada em relação ao nascente/poente do sol, destinação de residuos solidos, reuso de água dentre outros.

Também, uma rofunda reflexão das principais causas de um estudo preliminar inadequado ou apressado da fase inicial do projeto, tais como: falta de observação da orientação magnética, análise incoerente quanto ao correto uso da edificação, preocupação somente com questões financeiras construtivas sem projeção de custos de manutenção desta edificação.

O presente trabalho pretende apresentar uma abordagem sobre o tema SUSTEN ABILIDADE NA CONSTRUÇAO CIVIL pois as características de uma construção sustentável interferem diretamente na relação do homem/meio-ambiente com questões que podem ser minimizadas quando se esolve investir em um planejamento adequado se todos participarem.

OBJETIVO O objetivo deste artigo é traçar um paralelo entre os conceitos de inovação, tecnica, tecnologia e sustentabilidade em construções, identificando exemplos de tecnologias inovadoras utilizadas em edificações sustentáveis como Redução do consumo energético e da extração dos recursos minerais; Conservação das éreas naturais e de biodiversidade; Manutenção da qualidade do ambiente construído ; Reciclagem dos resíduos da indústria da construção civil ara ue estes selam empregados como onstruçào; Durabilidade e

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*