Logistica

Ensaios

FACULDADE PITÁGORAS DERALDO PINHEIRO SANTIAGO FABIO MARCELO DE PAULA GUILHERME HENRIQUE ESPÍNDOLA MARTINS LURIAJHENNIFFER ALVES MARCOS VINICIUS CORDEIRO GOMES ROBSON RAFAEL DA FONSECA INFORMAÇÃO NO GERENCIAMENTO DE PROCESSOS EM DISTRIBUIÇAO CONTAGEM 2011 1 or16 to view nut*ge DERALDO PINHEIRO Nm FÁBIO MARCELO DE GUILHERME HENRIQUE ESPINDOLA MARTINS LÚRIA ALVES Trabalho apresentado à Faculdade Pitágoras como pré-requisito ? obtenção do título de tecnólogo em Gestão em Logística. ROF. : CLEWON IZIDORO prestadas. ciência, em lugar de empinsmo; harmonia, em vez de iscórdia; cooperação, não individualismo; rendimento maximo em lugar de produção reduzida; desenvolvimento de cada homem, no sentido de alcançar maior eficiência e prosperidade”. F. W. TAYLOR SUMARIO . INTRODUÇÃO 15 . 1 PROBLEMA DE PESQUISA 15 1. 2 OBJETIVOS 16 1. 2. 1 Objetivo Geral: 16 1. 2. 2 Objetivos Específicos: 16 1. 3 JUSTIFICATIVA 16 1. 4 METODOLOGIA17 . 5 REFERENCIAL TEORICO 18 2.

ANÁLISE DE DADOS 23 3. CONCLUSÃ025 REFERÊNCIAS 27 l. INTRODUÇAO O gerenciamento de informações no meio organizacional tem sido muito difundido e explorado em nosso país. Existem grandes atores que estarão expostos ao longo deste estudo. Hoje em da, a cultura das organizações mostram que é extremamente carente em relação à processos logísticos e financeiros. Ao longo deste projeto serão demonstradas as análises em relação a processos logísti peando os mesmos.

OBJETIVOS Objetivo Geral: Estruturar o gerenciamento das informações em relação às entregas. Objetivos Específicos: | 0 Mapear o processo atual; 20 Analisar as informações existentes; 30 Desenvolver ICD (Indicadores Chaves de Desempenho) para gestão dos processos. Justificativa O tema foi escolhido através da necessidade de solução em elação ao problema apresentado pela organização Águia Transportes, visando o aprendizado já estudado em sala de aula, fazendo uma relação direta à prática.

Uma das razões que o grupo encontrou para desenvolver este projeto compreende na necessidade de informações da organização, pois designa um ingrediente vital no planejamento, operação e controle do processo logístico. Foi acordado entre os integrantes do grupo, que seria uma oportunidade Ímpar, aliás, a base teórica de forma a se ressalvar na prática, para sugerir a empresa Águia Transportes que a mpresa necessita de um novo plano de gerenciamento através de dados mais organizados, possibilitando a informação mais precisa, assim, todavia com adição de indicadores, que serão utilizados de maneira mais efetiva.

O tema abordado vêm evidenciando cada vez mais, a necessidade das organizações em estar adicionando em seu cotidiano, estruturas em soluções de tecnologia da informação para o gerenciamento dos dados e informações para tomadas de decisões mais eficazes. Este tema que será aqui desenvolvido retrata que, a organização deve estar sempre atenta PAGF 3 6 , embora sela complexo, controle. Hoje em dia, os sistemas de informação vêm se tornando grandes chaves no meio empresarial, sendo que, com a aplicação destes, torna o melhor controle da Logística no espaço organizacional favorecendo as tomadas de decisão.

Metodologia Para que possamos compreender as abordagens deste projeto é de suma importância ressaltar alguns pontos, para justificar e subsidiar este projeto. Entre os vários conceitos de métodos podemos estar embasados a partir de autores consagrados que relacionam o tema abordado com o desenvolvimento desse estudo. Para Hegenber (1976), método é o “caminho pelo qual se chega determinados resultados, ainda que esse caminho não tenha sido fixado de antemão de modo refletido e deliberado. É uma forma de selecionar técnicas, forma de avaliar alternativas para ação cientifica. Métodos são regras de escolha, técnicas são as próprias escolhas”. Embora na visão de Néreci (1 978), demonstra mais clareza em relação ao conceito de método, que designa ” o conjunto coerente de procedimentos racionais ou prático- racionais que orienta o pensamento para serem alcançados conhecimentos validos”. A Metodologia Qualitativa preocupa-se em analisar e interpretar spectos mais profundos, descrevendo a complexidade do comportamento humano.

Fornece análises mais detalhadas. Multo importante ressaltar que, o método qualitativo os dados são analisados em seu conteúdo de forma reduzidas. Richardson (1999), afirma que a pesquisa qualitativa” pode ser caracterizada como a tentativa de uma compreensão detalhada dos significados e caracterizadas situacionais apresentadas pelos entrevistados, em lugar d medidas quantitativas de 16 pelos entrevistados, em lugar de produção de medidas quantitativas de características ou comportamentos. A metodologia qualitativa tradicionalmente se identifica como o estudo de caso. ara Marina, (2007), estudo de caso ou método monográfico refere-se ao levantamento com mais profundidade de determinado caso ou grupo humano sob todos os seus aspectos. Entretanto é limitado, pois se restringe ao caso que estuda, ou seja, um único caso, não podendo ser generalizado. Neste trabalho usaremos o método qualitativo que busca responder os “porquês”, investigar conceitos, motivações e sentimentos que antecedem ou estão presentes no comportamento do individuo e na formação das representações sociais.

Referencial Teórico De acordo com as pesquisas realizadas em campo, fica evidente a necessidade de gerenciamento de informações na organização. O estudo aqui, apresentado possuirá conteúdo representado por autores consagrados, que por sua vez, apresenta claramente a importância da gestão de informações e aplicaçoes à orgamzaçao. * – Dados Os itens de dados referem-se a uma descrição elementar das coisas, eventos, atividades e transações que são registradas, classificadas e armazenadas, mas não são organizadas para qualquer significado específico.

Os itens de dados podem ser uméricos, alfanuméricos, valores, sons ou imagens. Um banco de dados consiste em itens de dados armazenados, organizados para recuperação. REZENDE (2009). Os dados, quando a eles são atribuídos valores, transformam-se em informações. A gestão de dados e informações compreende as atividades de guarda e recuperação de dados, controle de acesso de informações. (NORTON, 1996; STAR, 1998; LAUDON E LAUDON, 1999). dados, controle de acesso de informações. (NORTON, 1996; STAR. 1998; LAUDON E LAUDON, 1999). 1. 5. 2 — Informação A informação nos dias de hoje tem valor altamente significativo pode apresentar grande poder para quem possui, seja pessoa, seja instituição. Ela possui seu valor, pois está presente em todas atividades que envolvem pessoas, processos, sistemas, recursos financeiros, tecnologias, entre outros. REZENDE (2009). Informação consiste em dados que foram organizados de modo que tenham significado e valor para o recebedor. O recebedor interpreta o significado e chega a conclusões e implicações a partir de dados.

URBAN (2005) Ao longo da vida de uma pessoa ou de uma organização, são coletadas informações mediantes a processos sistemáticos que podem ser cada vez mais, valorizadas. O processo de valorização da informação cumpre algumas fases e passos lógicos. WEITZEN (1994). Para REZENDE (2009), os passos para a valorização das informações podem ser distribuídos através de conhecer as informações, aprender sobre as informações, juntar e guardar as informações úteis, selecionar, analisar e filtrar as informações de maior valor, organizar as informações de forma lógica, valorização das informações e uso das mesmas.

Fato este, que leva REZENDE (2009), a verificar a organização das informações onde avalia e dá atenção as questões de uso e tecnologia moderna de banco de dados, agilidade de acesso, produtividade, menor custo de operação e maior retorno seja financeiro, ou de conhecimento.

Segundo REZENDE (2009), para as Informações serem úteis para as decisões, as informações devem obedecer a características ou premissas onde têm de possuir conteúdo único, exigem mais de duas palavras, PAGF características ou premissas onde têm de possuir conteúdo único, exigem mais de duas palavras, não podem ser generalizações, não são abstratas, sem verbos, e ainda são diferentes de documentos, programas, arquivos ou correlatos. 1. 5. – Sistemas de Informação Para TURBAN (2005), os sistemas de informação coleta, processa, armazenam e disseminam informações para uma finalidade específica.

Importante ressaltarmos que, um sistema de informação não é necessariamente computadorizado, embora a maioria deles seja. Os sistemas de informação são construídos para alcançar vários objetivos, sendo que, processa de forma econômica dados para informações ou conhecmento. para (KROENKE, 1992; LAUDON E LAUDON, 1999), os sistemas de informação requerem estudos quanto à sua abordagem gerencial e estratégica realizando análise do papel stratégico da informação e dos sistemas nas empresas.

Falar sobre os sistemas de informações, em auxílio a gestão de tomadas de decisão é primordial para a confecção de possiveis soluções com relação ao problema apresentado pela organização. Embora evidenciamos a questão relacionada a falta de organização na captação de dados, tornando as informações imprecisas, podemos levar em conta, o que LAUDON (2007) diz que, os sistemas de apoio a decisão focam em relação ? problemas únicos e que alteram com rapidez, para os quais que não existem procedimento de resolução totalmente pretendido.

LAUDON (2007), ainda ressalva que, embora os SADs (Sistemas de Apoio à Decisão) utilizem informações internas obtidas por SIGs (Sistemas de Informações Gerenciais), recorrem a informações externas para análises de dados, que por sua vez, condensam em grandes quantid recorrem a informações externas para análises de dados, que por sua vez, condensam em grandes quantidades de dados em formato que possa ser analisado pelos tomadores de decisão. Uma das principais contribuições dos sistemas de informações tem sido melhorar as tomadas de decisões, seja no caso de indivíduos ou grupos. ra LAIJDON (2007), existem nlVeis que possuem diferentes necessidades de informação para apoiar as decisões e é responsável por diferentes tipos de decisões. As decisões não estruturadas são aquelas em que o responsável deve usar o bom senso, sua capacidade de avaliação e sua perspicácia na definição do problema, em contrapartida as decisões estruturadas repetitivas e rotineiras, envolvem procedimentos preliminares de modo que não precisam ser tratadas como se fossem novas.

Fato este, que LAIO DON (2007), aborda quando diz que, as decisões não estruturadas são mais corriqueiras nos níveis rganizacionais mais baixos, em relação a problemas que não são estruturados, são mais comuns, todavia mostra claramente a abordagem do nosso projeto. 1. 5. 4 – Tecnologia da Informação A tecnologia da informação é um mapa, ou plano de alto nlVel de recursos de informação em uma organização, que orienta as operações atuais e é, um modelo para orientações futuras. TURBAN (2005).

Conceito bem estruturado em relação ao problema apresentado. I . 5. 5 – Qualidade A grande concorrência no mercado, leva as organizações à se preocuparem em relação a qualidade. Segundo FALCONI (2004), a qualidade é uma questão de vida ou morte. Sua empresa só sobreviverá se for o melhor no negócio. FALCONI (2004) ressalta a grande importância da honestidade das empresas em relação ao empresas em relação ao mercado com a satisfação das pessoas, colocando os consumidores como prioridade. ? necessário que os clientes se slntam satisfeitos por um longo tempo ou até mesmo a questão de utilização de um serviço prestado. O controle de qualidade total proposto por FALCONI (2004), visa atendimento aos objetivos da empresa, abordando características ásicas, sendo como adição de um sistema gerencial que parte do reconhecimento das necessidades das pessoas e estabelece padrões para atendimento das necessidades, e que visa melhorar continuamente os padrões da visão estratégica com abordagem humanista.

O conceito de controle total para FALCONI (2004) é definido como o controle exercido por todas as pessoas da empresa, de forma harmônica (sistêmica) e metódica (baseada no ciclo PDCA). Embora seja abordada a qualidade total consiste em um verdadeiro objetivo de qualquer organização humana: “satisfação das necessidades de todas as pessoas” TQC é o controle exercido por pessoas para satisfação das necessidades de todas as pessoas. (FALCONI, 2004, P. 15) * 1. 5. 5— processo Controle de processo O controle de processo é a essência do gerenciamento em todos os níveis organizacionais, desde o presidente até os operadores.

O controle de processo nas organizações retrata o dia a dia em relação à aquisição de gerenciamento participativo, onde empregado possa assumir próprias responsabilidades. Para FALCONI (2004), Processo é um conjunto de causas (que provoca um ou mais efeitos, que também podem ser chamadas “fatores de manufatura”. O processo é controlado por meio de seus efeitos. Os itens de controle de um processo podem s processo é controlado por meio de seus efeitos. Os itens de controle de um processo podem ser considerados índices numéricos estabelecidos sobre efeitos de cada processo para medlr sua qualidade total. ortanto, um processo é gerenciado por meio de seus itens de controle que medem a qualidade, custo, entrega, moral e segurança. Existem hoje em dia, métodos de controle de processos que por sua vez, vêm para auxiliar e aperfeiçoar os processos nas organizaçóes. As organizações exercem funções de controle e processos através de métodos como CICLO PDCA. FALCONI (2004) mostra que, o ciclo PDCA é composto por quatro fases básicas de controle como: planejar, executar, verificar e atuar corretivamente.

Dentre os termos mostrados pelo autor, ele mostra que casa fase tem suas devidas funções como: o planejamento ( Consiste em: estabelecer metas sobre os itens de controle, estabelecer a maneira, ou seja, o método para atingir as metas propostas), a e execução ( Execução das tarefas de forma como foi previstas anteriormente e coleta de dados para verificação do processo, não deixando de ressaltar que, esta fase ? primordial para o treinamento do trabalho decorrente da fase do planejamento), a verificação ( a partir de dados coletados na execução, compara-se o resultado alcançado com a meta planejada), e a atuação corretiva que, denomina ser a etapa onde o usuário detectou desvios e atuará no sentido de fazer correções definitivas, de tal modo que o problema nunca mais volte a ocorrer. Estes ciclos PDCA são utilizados para manter e melhorar as diretrizes de controle de um processo mantendo a manutenção do nível de controle, ou cumprimento das diretrizes de controle. O caminho para o sucesso para obter melhorias

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*