O folclore brasileiro

Ensaios

O FOLCLORE BRASILEIRO… Práticas Pedagógicas professora: ALESSAN 4a Séries F Novembro 2011 O Folclore Brasileiro or*g to view nut*ge RESUMO: O folclore é uma ciência que cuida das tradições, usos e costumes dos povos. Saber popular transmitido de pai para filho. Cada povo tem seu jeito de explicar o que acontece a sua volta e para isso contam passagens importantes da nossa história. Folclore também é Literatura.

As inspirações do Romantismo e muitas correntes do Modernismo são tirados do folclore. É de valor integral na cultura. Merece ser estudado e aproveitado ob todos os aspectos: intelectuais, artísticos, educacionais, transmitidos de geração em geração basicamente de forma oral e que faz parte da cultura popular. O folclore varia bastante de um País para o outro, e até mesmo dentro de um Estado é bastante variável, pois as diferenças entre as regiões são muito grandes.

Folclore foi uma palavra criada por William John Thoms – um arqueólogo inglês – quando, no dia 22 de agosto de 1846, publicou uma carta no jornal O Ateneu, de Londres, mostrando a necessidade da existência de um vocábulo destinado a denominar o estudo das tradições populares inglesas. Desde a data da publicação da carta passou a ser comemorado, no mundo inteiro o dia 22 de agosto como o Dia do Folclore. A palavra folclore foi formada da união de dois termos oriundos do antigo inglês falado na Inglaterra: folk (povo) e lore (conhecimento) e substituiu o que, na época, era chamado de antiguidades populares.

Na carta escrita ao jornal londrino William John Thoms usou o pseudônimo Ambrose Merton e pediu que se fizesse um registro de antigas lendas, crenças em desuso, baladas, velhos costumes, fatos curiosos, de sua terra. O termo foi aceito e logo incorporado por todos os países civilizados, em uas respectivas línguas. O estudo do Folclore é o estudo da própria alma de um pais, é o estudo do modo de ser da gente do povo, das suas maneiras de pensar, de agir e de sentir, é o estudo da feição nacional nas suas bases mais profundas e mais características. ? a expressão cultural mais legítima de um povo. E como expressão do povo faz parte de sua riqueza cultural e portanto, está inserido em seu patrimônio cultural. JUSTIFICATIVA O presente trabalho foi organizado tendo como objetivo precípuo proporcionar ao aluno o conhecimento das PAGF 39 trabalho foi organizado tendo como objetivo precípuo roporcionar ao aluno o conhecimento das mais diversas formas de cultura vivenciadas pelo folclore brasileiro em todas as regiões do pais. ma vez assim disposto, far-se-á necessáno, toda a relevância dada ao desenvolvimento do mesmo para que o aluno tenha o suporte básico à sua pesquisa e perceba o quão rico é o “Folclore Brasileiro”. No entanto, para conhecer melhor o folclore brasileiro você deverá ler, pesquisar e anotar os fatos considerados necessários e importantes, uma vez que o mesmo proporciona o conhecimento do nosso povo e seus costumes bem como preserva as nossas tradições.

Depois de visitar a Internet, ler os livros dlsponiveis sobre o assunto, será mais fácil transmitir aos outros seus conhecimentos e despertar assim o seu interesse em cultivar as nossas tradições. Ao explorar os recursos sugeridos, você conhecerá: As características e definições do folclore; Lendas, mitos e crendices; Medicina popular e comidas típicas; Brincadeiras e brinquedos, canções e instrumentos musicais; Trava-línguas, provérbios e ditos populares; Linguagem, literatura, desafios e apelidos. Festas e danças; . além de muitos outros fatos interessantes que irá descobrir e incorporar aos seus conhecimentos…

OBJETIVOS Reconhecer a importância cultural do folclore; Repassar os valore culturais; Desenvolver a criatividade e a linguagem; Desenvolver o gosto pela dança e música; Estimular o raciocínio e a atenção; Desenvolver o hábito da es uisa• Esclarecer fatos do Folc PAGF 3 9 tado, de outros bem outros bem como do Brasil. METODOLOGIA A estratégia básica desenvolvida e utilizada pelas professoras na implantação dos projetos de pesquisa é fruto de estudos e, principalmente de observações e erros, ocorridos nos primeiros projetos trabalhados.

As ações dessa metodologia são, sumariamente, descritas a eguir: C] Na comunidade: a) mobllização, esclarecimento e envolvimento dos alunos e da população, com identificação dos grupos diretamente formados para os trabalhos a serem desenvolvidos; b)envolvimento da equipe representante da escola para os devidos contatos aos locais de excursões e pessoas a serem entrevistadas; c)envolvimento dos profissionais das casas de cultura, bibliotecas, oficinas culturais, etc… , d)estabelecimento das equipes locais (voluntários) de trabalho.

No Governo Municipal (Prefeitura) e outras entidades do bairro: a) requisição de materiais para confecção dos trabalhos, como: ontagem de cenários para peças teatrais, danças, vestimentas para apresentações, pratos típicos e demonstrações; DESENVOLVIMENTO SAO CARACTERISTICAS DO NOSSO FOLCLORE Folclore é o saber vulgar do povo. Não transmitido através de escolas e nem de livros e sim por imitação ou por força de tanto ver e ouvir. Até bem Ouca tempo, o folclore era considerado tradição de p nalfabetos, iletrados, PAGF d g humanos.

Para ser determinado como fato inteiramente folclórico é necessário as seguintes caracteristicas: – Tradicionalidade – Passa de geração em geração, ao longo de nos e séculos, Oralidade – São transmitidos através da fala, da linguagem oral; Anonimato – Não se sabe quem é o autor, onde nem quando começou; Coletividade – É coletivo, ou seja, é do povo, é popular; Funcionalidade – Existe sempre uma razão para sua existência, seja lazer, religiosidade, subsistência,etc; Vulgaridade – É assumido pelas classes populares, sem nenhum preconceito; – Espontaneidade – É espontâneo, informal, não institucionalizado, mas aceito por todos os povos.

C] Obseruação: Alguns fatos folclóricos não têm todas as características citadas, outros têm autores, como é o caso da iteratura de cordel e do artesanato, e de algumas lendas. LEIS QUE O PROTEGEM Constituição federal Art. 21 5: “o Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais”; Art. 216 : “Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira nos quais se incluem: – as formas de expressão;

II – os modos de criar, fazer e viver; III -as criações científicas, artisticas e tecnológicas; IV – as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais; V – os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico PAGF s 9 urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico”. Portanto, as crenças, lendas, tradições, costumes e tradições, são bens imatenais, que compõem o patrimônio ultural, estão protegidos juridicamente pelo texto constitucional citado. Tratam-se assim de bens imateriais difusos de uso comum do povo e que podem ser protegidos pela ação civil pública. Exemplo: quando manifestações ou representações do folclore são proibidas por autoridade, lei ou ato administrativo, podem ser defendidas juridicamente.

TIPOS DE FOLCLORE O folclore pode ser encontrado nos três reinos: vegetal, animal e mineral, e pode ser agrupado de várias formas: – Música (instrumento, cantigas de roda, cantigas de escolha, toadas de ensino, romances, cantigas de ninar). Danças (bailados, catira, quadrilha, lundu, carneiro, coco, congadas, maracatu, fandango, dança de São Gonçalo, de fitas, frevo etc) – Festas (as festas populares em sua maioria têm caráter religioso: festa de Santa Cruz, de Santos, de Nossa Senhora do Rosário, de Santo Antônio, do Divino Espirito Santo, Semana Santa, de Santa Efigénia, de São Sebastião, de Reis, ou festas profanas, como festas juninas e outras) — É importante frisar que o profano e o religioso estão sempre associados, em geral nota-se elementos profanos na maioria das festas religiosas, assim como existem elementos olclóricos em cada uma das festas citadas. Brinquedos e brincadeiras (de jogar, cantados, falados, de roda, de mímica etc). Religião (festas, crenças, superstições, benzeções, simpatias, rezas, orações, cânticos, promessas, cruzes nas estradas, milagres, tabus, amuletos, talismãs e orações, cânticos, promessas, cruzes nas estradas, milagres, tabus, amuletos, talismãs e cultos fetichistas). – Medicina caseira (chás, simpatias, benzeções, mezinhas, rezas, promessas, nome de doenças, purgantes, emplastros, fomentações, garrafadas, pós e ungüentos). Alimentos (pratos regionais, superstições dos alimentos e tabus acerca dos alimentos). – Folguedos (folias de Reis e do Divino, Boi da Manta, Bumba-Meu-Boi, Boi de Mamão, cavalhadas, impérios). Literatura (provérbios, lendas, parlendas, contos, trava-línguas, desafios, adivinhações, apelidos, charadas, histórias, xingamentos, réplicas, fábulas, cordel). – Arte e artesanato (de cerâmica, pedra, madeira, couro, bambu, taquara, pintura, bordado, tecelagem e fiação, recortes em papel). – Meteorologla (nomes de chuva, trovão, tempestades, estações do ano, lua re âmpago, eclipses). Além dos elementos folclóricos citados, existem ainda os mitos, que figuram no imaginário popular dos brasileiros. MITOS O folclore brasileiro é rico em personagens mágicos. Esses seres que habitam o mundo dos mitos e lendas geralmente estão associados à natureza.

Algumas dessas histórias chegaram aqui com os povos que colonizaram nossas terras, como os portugueses. Outras nasceram com os índios, súditos po excelência da mãe natureza. Há aquelas que são contadas há décadas e mais décadas sem que ninguém saiba ao certo como surgiram. Surgiram da necessidade que os povos tinham e explicar e justificar fatos e acontecimentos. Com os índios, súditos por excelência da mãe natureza. Há aquelas que são contadas há décadas e mais décadas sem que ninguém saiba ao certo como surgiram. Surgiram da necessidade que os povos tinham de explicar e justifica PAGF 7 39 saiba ao certo como surgiram. Surgiram da necessidade que os povos tinham de explicar e justificar fatos e acontecimentos.

Com características fantasiosas, impressionantes e surpreendentes, as lendas e os mitos foram o ponto de partida para os conhecimentos científicos. Conhecê-los é viajar pelo reino do olclore com o passaporte carimbado pela embaixada do sonho e da imaginação. Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.

Mito é coisa inacreditável, que não é real. Mito e lenda caminham sempre juntos, e, em geral o mito é que dá origem à lenda. Arranca-l[ngua Pisadeira Cabeça Satânica Romãozinho Cachorra da palmeira Cabeça de cuia Caboclo d’água Quibungo Papa-figo Loira do banheiro Alamoa Minotauro Vaqueiro misterioso Zaons Porca-dos-sete-leitões Cuca LENDAS As lendas são estórias -e ou sentimental com fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da imaginação, conservando as quatro características do conto popular: ambigüidade, persistência, oralidade e anonimato. As endas procuram dar explicação a acontecimentos mistenosos ou sobrenaturais.

Algumas lendas do folclore brasileiro, comuns em todo Brasil: Curupira ou Caipora Boitatá Matinta-perêra Lobisomem Mula-sem-cabeça Mulher da Meia Noite Região Norte Mãe-D’água – Iara Cobra Grande – Boiúna ou Cobra Norato Vitória Régia Sumaré Lenda da Mandioca Uirapuru, goto Caire e Catiti Capelobo Curaganga /Cumaganga Mapinguari Muiraquitã Pé de Anjo Pirarucumbóia ou Pirarucuambóia Região Nordeste Besta Fera Cidade Encantada de Jericoacoara Barba Ruiva Cabra-cabriola Região Centro Oeste Pé de garrafa Região Sudeste: Saci-Pererê Missa dos Mortos característica essencial do folguedo é o sentido de representação. No folguedo o indivíduo assume provisoriamente um ou vários papéis na apresentação”. Traduz-se em representação, espetáculos, por vezes, em cortejo. Bailados coletivos que, junto com obedecerem a um tema dado tradicional e caracterizador, respeitam o princípio formal das suítes, isto é, obra musical constituída pela seriação de várias peças coreográficas.

Dramático, não só no sentido de ser uma representação teatral, mas também por apresentar um elemento especificamente spetacular, constituído pelo cortejo, sua organização, danças e cantorias. Coletivo, por ser de aceitação integral e espontânea de uma determinada coletividade; e com estruturação, porque através da reunião de seus participantes, dos ensaios periódicos, adquire uma certa estratificação. Seu cenário são as ruas e praças públicas de nossas cidades, especialmente nos dias de festas locais, em louvor dos santos padroeiros ou do calendário. Na verdade são representações com muito ritmo, vários personagens e um enredo.

O mais conhecido é o Bumba meu-Boi. A Congada, realizada em vários estados brasileiros, entre eles Paraná, Minas Gerais e Paraíba, representa a luta entre dois grupos, os cristãos e os mouros. As festas populares são fatos sociais complexos, conjuntos de cerimônias, de rituais coletivos que visam celebrações de cunho religioso ou profano. Mostraremos aquelas de motivações profanas ou religiosas que se mantêm em função da cooperação de toda uma comunidade, organizadas com a participação, senão de todos, mas de grande parte dos membros da mesma: são as “festas que o povo se dá”, no dizer de Peter Burke. Em suas realizações, as pessoas

Post a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*